quarta-feira, 4 de março de 2015

ingrato...


quando penso
que do poema
tenho a posse

rebelde, ele,
de mim, debocha
ri, foge...

em outras mãos
faz-se pureza e luxuria
dá-se ao uso

e goza...

2 comentários:

  1. Quando penso luxúria
    tenho de mim
    a rebelde pureza em
    outras mãos

    que dá se ao uso
    do poema-posse

    ele que debocha
    e faz se ingrato
    goza
    ri
    e foge.


    (saudades grande poetisa)

    ResponderExcluir
  2. Agradeço o elogio, grande poeta.

    ResponderExcluir