quarta-feira, 28 de junho de 2017

fome

de onde
vem tantos
améns?

de que carne
são feitos esses
olhos?

de dor
em dor ao chão
dobram-se

e aos céus
os ossos
imploram....

quarta-feira, 14 de junho de 2017

espasmo

no corpo
de cristo

a palavra
a metáfora

a poesia
os ossos

a cruz
a estrada

o beijo
e o escarro...

segunda-feira, 12 de junho de 2017

12/06

tantas paixões
em um só dia
e essa segunda
gritando que a poesia
esfria em palavras,
e em mesas
vazias....

tantos afagos
em uma só data
e esse vai e vem
da rotina murmurando
que amores aquecem-se
em olhos que
enlaçam-se...

sexta-feira, 9 de junho de 2017

quinta-feira, 8 de junho de 2017

segunda-feira, 5 de junho de 2017

domingo, 4 de junho de 2017

indo...

reviram-se nas camas
domingos de mal humor

quem dera fosse segunda
quem dera a malfada rotina

qualquer coisa a cobrir de fumaça
o vazio das horas, a dor dos olhos

qualquer coisa que liberte
os ossos, as palavras, os pássaros

mas é domingo, ainda

sábado, 3 de junho de 2017

dossiê

piegas
esses versos
insones, insonsos
insistem
a ladrar fome
a pedir colo
a sujar vestes

como se
imberbes fossem
e nunca em fossas
em sarjetas
de muletas
de rugas e ossos
também, não vivessem...

terça-feira, 30 de maio de 2017

in vitro...

depois
da lua e
das estrelas,
a madrugada
em carne
crua e viva

sem venda
nos olhos
sem a luz
das pontes
sem mariposas
nos postes

insone
a intuir vozes
buzinando
nos ouvidos
dos sonhos:
vísceras...

segunda-feira, 29 de maio de 2017

lúdico

em tardes
de cinzas
longe do túmulo
quando meus pés
volitam

ardem
em meus olhos
a textura
e tecitura
das nuvens

queria eu
um corpo de palavras
carne e ossos
de imagens
e metáforas

longe
bem longe
do concreto
que cega e castra
meus absurdos...