terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

das aves...



não findam
os trabalhos,
os pássaros

e vem o relógio
cobrar do crepúsculo
o atraso...

tardam as estrelas
tarda a noite
tarda a lua

é do verão
o descaso
o mormaço

o quente dos passos
a sede dos lábios
a pele em orvalho

piam
e piam
as árvores...

e mariam as asas...

7 comentários:

  1. Belo poema irmã ..parabéns como sempre suas palavras são certeiras....bj

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Cris. Bom te ver por aqui. Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Carol... Obrigada pela presença e elogio.

      Excluir
  4. Boa noite minha querida.
    Que delicadeza no compor... Adoro as tuas digitais, parabéns!
    Deixo o meu carinho... Abraço, lu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu... Sempre doce e atenciosa. Beijo e carinho meu.

      Excluir